sábado, 27 de dezembro de 2014

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Michely Manuely (Vídeo A Solução)

Obrigado pelo apoio, principalmente no twitter onde o vídeo teve a maior divulgação sem eu nem imaginar, graças a meus seguidores (leais) que passaram e repassaram o vídeo até chegar à Michely.

Agradeço também especificamente ao Michel Peixoto, irmão dela, e a Roseli Lima, mãe, que sempre me deram um enorme apoio como falo no vídeo.

O vídeo agora se encontra em sua página oficial, confira clicando aqui, com a seguinte mensagem:

"Muito muito Feliz em receber essa mensagem David Alves, 
Deus abençoe ricamente,
Obrigada pelo carinho."

Enfim, eu que agradeço por tudo, os anos se passam, mas a memória fica, deixando um desconforto que conhecemos como saudade.

Você já é abençoada Michely, mas que Deus a abençoe mais ainda, fico muito contente que a mensagem tenha chegado até você, e fico feliz por lembrar de mim.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Não chamo mulheres de 'gatas', até porque elas não são animais. 
Prefiro chamar de lindas!

Não assobio quando elas passam, porque não são passarinhos.
Prefiro cumprimentar com um bom dia ou boa noite!

Não as chamo de 'gostosas', até porque não são comida.
Prefiro dar um abraço!

Enfim, isso não é ser gay como muitos dizem, pelo contrario, gosto de mulheres, não sou moleque nem gosto de agir como um, ao contrário de muitos, prefiro agir como um homem de verdade.

— David Alves

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

A Solução (Dedicado à Michely Manuely)


Enfim, é uma longa história, mas a vontade de Deus é feita de uma forma ou de outra.

Em breve estarei postando o vídeo da composição "A Solução".

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Somente 
fale para mim a verdade, pois 
só mente 
quem tem mau caráter.´

— David Alves

domingo, 14 de dezembro de 2014

Improviso (EP)










"Improvisado em uma manhã/tarde de sábado"

Este miniálbum foi totalmente produzido e gravado em meu pequeno quarto (incluindo a capa), nele contém quatro de minhas composições, três tributos à artistas que admiro (canto meus trechos favoritos dos mesmos), e uma introdução totalmente improvisada, enfim, digamos que o miniálbum foi um improviso, portanto o nome.

Faixas:

01. Improviso
02. Rima
03. Tributo ao Cícero (Vagalumes Cegos)
04. Às Seis
05. Tributo ao Tom (E Agora Tião?)
06. Encanto
07. Tributo à Tiê (Dois)
08. Não é por nada

Para adquirir o disco:


ou

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Meu primeiro livro

Muitos estão me questionando, principalmente no twitter, quando irei lançar meu livro.

Enfim, essa é uma resposta um pouco relativa, a previsão é para o fim deste ano, mas caso não dê tempo, deixarei para o começo de 2015.

Já enviei a obra completa e revisada para a editora no final de outubro e fiz o pagamento da primeira parcela, agora estou aguardando apenas o material para que eu possa aprovar a finalização da obra (o que está demorando mais).


A curiosidade de vocês está muito grande, porém não revelei nada sobre o livro para ninguém, a única coisa que posso afirmar é que o gênero do mesmo é de poesias, mas não se prende a rótulos, contém muitos escritos um pouco pessoais, e apesar de ser um livro pequeno, é bastante significativo para mim.

Já sobre o preço, isso divulgarei apenas no lançamento, quando o mesmo já estiver disponível para venda.

Não tenho muito o que falar, mas fiquem tranquilos, assim que eu receber o material, farei o lançamento e vocês poderão adquirir o livro para matar essa curiosidade toda.

Um grande abraço, e obrigado pelo carinho.
O seu amor murchou como a rosa que deu para ela aquela tarde.

Ela esqueceu de que tinha que colocar a rosa na água.
Você esqueceu que amor tem que ser verdadeiro.

— David Alves

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Menos beleza, mais cultura

Popularidade e beleza são dois termos que hoje em dia substituíram cultura e intelecto. A maioria das pessoas atualmente (sem generalizar) valorizam coisas fúteis que deveriam ser tratadas no máximo como secundárias, porém as mesmas as tornam prioridade em suas vidas, e acabam esquecendo do que realmente importa.

O fato não é faltar educação, também falta incentivo, porém o único que pode escolher se quer ou não estudar, é o aluno, e isso gera consequências futuras. Os políticos de hoje eram os estudantes de ontem. Por que será que os seres humanos dão tanta importância a coisas sem necessidade (que deveriam ser tratadas como entretenimento) e fazem tais coisas constante na vida deles?!

Falo isso porque moro em uma cidade pacata que está começando a evoluir (lentamente), mas evoluir no sentido de urbanização, pois no de cultura e intelecto parecemos estar regredindo. A cada dia que se passa surgem novas modas, coisas fúteis que incentivam o consumismo. Por aqui as pessoas acham que popularidade e beleza são duas "coisas essenciais para sobreviver" em meio a uma sociedade regrada por eles mesmos.

Costumo visitar a (única) biblioteca pública existente por aqui, e raramente vejo pessoas por lá, quando vejo são sempre pessoas com idade superior a minha. São poucos os que se interessam em conhecer um pouco mais sobre o lugar onde vive, ou até sobre si mesmo. É bastante difícil fazer com que larguem seus celulares e redes sociais para pegarem um livro e extrair um pouco de conhecimento para si.

Moro na mesma cidade, no mesmo bairro e na mesma rua há dezesseis anos, e sempre gostei de observar não só as coisas, mas também as pessoas. E pelo que vejo, elas gostam de imitar umas as outras, parecem cópias. 

Se um filme se torna famoso, todos querem assistir, se muitos começam a usar determinada roupa, outros seguem tal tendência, se um começa a ouvir uma música aqui, outro começa acolá, e logo tal música estará tocando em todos os lugares.

O que estou tentando dizer é que parece não existir mais o que costumo chamar de personalidade própria, as pessoas parecem serem dominadas pelo modismo de uma maneira extrema, e vivendo em um meio capitalista como o que vivemos, precisamos ter limites, mas a maioria não enxerga esses limites e sai por aí à comprar roupas de grife, smartphones de última geração, isso apenas por causa do modismo que influência o consumismo, com o único objetivo de tentar impressionar, ou pelo menos se igualar a essa sociedade regrada.

Festas e shopping estão lotados, e as pessoas gostam de estar lá, mas quando se encontram em um ambiente de estudo, como uma sala de aula, não vêem a hora de sair logo dali. 

Em minha pacata cidade (Itapipoca), existe apenas uma biblioteca pública, e não há nenhuma livraria, sebo, ou algum local onde possamos encontrar bons livros para ler. Em tal biblioteca tem muitos bons livros, mas acredito que para cada leitor deveria haver pelo menos duas bibliotecas. 

A "nova" biblioteca que deveria ter sido inaugurada há cerca de dois anos atrás, até hoje não foi inaugurada, não sei o motivo, pois para fazer festas caríssimas com bandas (sem conteúdo) para o povo, o governo sempre dá um jeito de "arranjar dinheiro", agora para inaugurar uma simples biblioteca, temos que esperar cerca de dois anos, isso sem contar o que talvez ainda teremos de esperar.

O pior de tudo é que apesar de o governo ter boa parte da culpa, as pessoas também tem, pois a maioria se interessa muito mais por tais festas passageiras e sem valor do que com a cultura e o conhecimento, que é algo eterno e de um valor imenso, já que nunca podem ser tirados de você.

Está mais que na hora de começar a refletir e dar valor ao que realmente merece valor.

A falta de incentivo e a falta de interesse está tomando conta de tudo, por isso temos uma sociedade de pessoas alienadas, mas como pode-se perceber, para mudar o mundo, antes, é preciso mudar a si mesmo.

Autor: David Alves Mendes

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Não adianta apenas pedir a Deus,
você tem um cérebro para planejar,
dois olhos para ver,
duas pernas para correr atrás,
e um coração para incentivá-lo.
Quem fica parado
não chega a lugar nenhum,
portanto siga em frente
sem olhar para trás.

— David Alves

Sorriso inesperado

Brilha
ou não,
Encanta,
ou sim

Para mim é
singelo,
banal, não,
belo

Sem palavras,
com dentes,
momentos contentes,
momentos memoráveis
ou irrelevantes

Inesperado,
uma alegria
de repente,
uma felicidade
de última hora.

Autor: David Alves Mendes

domingo, 7 de dezembro de 2014

Esperar

Esperar por algo que provavelmente não acontecerá, 
Viver em constante espera,
Procurar por algo que não encontrará,
Achar a vida esmera.

Expectativas não suprem,
nutrem,
iludem ou animam,
ambas não rimam,
estão mais pra antônimas.

Observar o céu,
escrever bobagens,
contemplar as estrelas
e se lembrar.

Se lembrar
do teu sorriso,
teu belo olhar,
e tua maneira de falar.

Esperar...
esperar um eu te amo de surpresa,
em uma tarde ensolarada
ou uma noite de terça.

Autor: David Alves Mendes
Sem pressa,
sem demora,
com calma sem perder tempo,
no momento exato,
deixa rolar e acontecer,
não tem hora pra ser feliz.

— David Alves

Da mesma maneira que me falta o ar, as vezes me falta as palavras.

Essa é uma data bastante especial, principalmente pelo fato de você ter um pouco mais de uma liberdade que antes não havia.

Mas acima disso, é uma data onde você completa não apenas mais um ano de vida, mas mais um ano de erros e acertos, lágrimas e sorrisos, mais um ano onde pessoas saíram de sua vida e outra melhores ainda entraram, enfim, mais um ano de experiências, de altos e baixos, mais um ano de felicidade, onde novas pessoas que surgiram querem apenas vê-la sorrindo, querem apenas vê-la feliz, e acho que você imagina quem seja uma dessas pessoas.


Espero ainda termos muito o que passar juntos, sabe, não vou falar muita coisa publicamente, mas enfim, não lhe desejo apenas muitos anos de vida, do que adianta viver muito sem ser feliz? Juntamente lhe desejo que transborde de felicidades, e se você pensar bem, boa parte dessa felicidade pode estar mais perto do que você imagina.

Parabéns,
e que seus sonhos e desejos se transformem em realidade!

(Isadora)

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

david alves mendes, janderson sousa, fotografia,







Não vou falar muita coisa. 

Conheci você esse ano e em um curto espaço de tempo já posso te considerar um dos meus melhores amigos. Nesses meses em que nos conhecemos já testemunhamos tantas coisas que daria para escrever um livro de contos (de terror, haha). 

Te desejo meus parabéns. Muitos anos de vida e que suas metas se realizem, ainda temos muitas loucuras pra viver e testemunhar.

(Janderson)

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Inverno começando, natal chegando,
chuva e frio aconchegante,
junto de minha ideias e meu cobertor,
escrevo poesias nesse exato instante.

— David  Alves

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014






















A melhor inspiração, 
Inspiração para escrever,
Inspiração para compor,
É a mesma ispiração para viver

— David Alves

Anna Freud

Hoje Anna Freud (sexta e última filha do gênio Sigmund Freud) completa 119 anos de existência. Ela é homenageada mundialmente por muitos "agregadores de informação e conhecimento", para quem acessa o Google e se depara com a imagem de um crânio com formas geométricas no lugar do cérebro, interprete como a genialidade de Anna, que deu continuidade a genialidade de seu pai.

Lembro-me de quando li uma de suas obras em uma época em que desconhecia a psicanálise, aos nove anos. "Correspondência", um livro que encontrei em meio a vários livros estragados, porém ainda o consegui ler (apesar de ter algumas partes faltando). O mesmo falava da relação entre Anna e seu pai (ao qual um ano depois eu conheceria melhor, e sete anos depois, o consideraria um dos maiores gênios da humanidade).